A moda dos quadrados

Há muito tempo alguém já dizia que “na vida nada se cria, tudo de copia”. No campo do design (de interface ou de qualquer outra coisa) isso é especialmente verdade. Quando um estilo se consagra, logo vem uma enxurrada de produtos semelhantes. Alguns conseguem até melhora o original, já a maioria não passa de meras cópias sem identidade.Bem que eu queria falar de quem lança moda em design e de quem copia (:-p) mas vou tentar me conter pra não fugir do objetivo desse post! He, he.

Ultimamente uma coisa no mundo do design de interfaces tem me chamado atenção. Enquanto os antigos esquemas de menus aninhados e árvores de diretórios que Deus sabe aonde terminam estão cada vez mais em baixa, uma forma bem mais simples de organizar as coisa está se popularizando. A receita é simples, transforme cada item em um quadradinho colorido e distribua-os em grade pela tela, tudo num único nível.

O exemplo mais clássico é a interface do iPhone (não precisa dizer mais nada, né!?). Imagine ter tudo ao alcance de um toque ou de um clique do mouse!

A proposta é tentadora, mas projetar uma interface desse tipo requer algumas precauções.

1˚. A quantidade de funcionalidades deve ser limitada. Depois de lotar uma tela com os quadradinhos, fazer scroll por muitas telas vai ser tão chato (ou até mais) do que navegar por uma estrutura de diretórios. Fico imaginando o que vai acontecer quando o espaço da tela do iPhone for completamente preenchido. E isso não vai demorar muito, pois sem considerar jogos e aplicativos não oficiais, com o lançamento do iTunes Wirelles Store sobram apenas três espaços.
2˚. Os desenhos precisam ser suficientemente intuitivos para que o usuário identifique o que procura com uma olhada rápida. Nesse ponto, essa distribuição já tem vantages, pois a organização em grade canaliza a visão, evitando que o usuário fique com o olhar perdido o que acontece muito frequentemente numa árvore de diretórios ou num menu com diversos ítens.

3˚. Beleza é importante, mas é inútil se não vier combinada com praticidade. Lembre-se que uma interface muito rebuscada, com muitos efeitos de sombra e 3D costuma distrair o usuário do seu objetivo. Por isso, fuja da tentação de fazer desenhos muito sofisticados. Em primeiro lugar eles devem ser intuitivos.

Ultimamente estou sonhando com uma forma de acabar com a estrutura de diretórios dos sistemas operacionais. Ela não é práticas! Uma pessoa, pouco habituada a usar computador pode se dar muito bem enviando e recebendo emails, mas na hora de anexar um arquivo a coisa complica! Navegar pela estrutura de diretórios é um uma tarefa ingrata. O problema é que os computadores são multi-funções demais para se criar uma estrutura mais prática mas que ao mesmo tempo seja flexível como o esquema de diretórios. Tenho pensado em possibilidades. Algumas já são reais. Você pode não perceber, mas quando começa a usar um sistema operacional que tenha busca indexada (daquela que você digita e ele acha na hora) vai perdendo o hábito de procurar as coisas no olho. Eu mesmo, depois que me habituei à busca do Vista, e agora ao Spotlight do Mac OS tenho enorme dificuldade de navegar por janelas com muitos itens. Normalmente desço e subo a rolagem várias vezes e não encontro o que procuro! Claro que os maníacos por organização vão achar que o mundo está acabando por isso! He, he.

Bom, tenho outros comentários e outras idéias para deixar transparente ou pelo menos reduzir a importância do sistema de arquivos e diretórios como é hoje, mas isso já dá assunto pra uma outra postagem. Esperem por uma completa mudança de paradigmas na próxima geração de sistemas operacionais!

imagem3.pngimagem4.png
iPod Touch e iPhone

speeddial.jpg
Opera Speed Dial

wiimenu61_image.jpg
Wii Channels

imagem2.png
Widgets do Dashboard