Novo site móvel do Twitter faz jus ao iPhone

Além dos vários aplicativo disponíveis para a plataforma, os usuários do iPhone agora dispõem de uma nova forma de interagir com o serviço de microblogging. Foi disponibilizado recentemente um novo site móvel que finalmente faz jus à capacidade do Safari Mobile, uma vez que a versão completa não funciona corretamente por causa do itens que aparecem com o movimento do mouse.

O novo site além de um visual bem mais elaborado possui ícones para responder, favoritar e até retuitar. Por essa nova interface também é possível visualizar os novos retweets, coisa que é impossível na versão antiga e ainda em vários aplicativos. Também é possível visualizar as mensagens em que foi citado, directs e favoritos. Outo aspecto que melhorou muito foi a visualização do perfil de um usuário permitindo inclusive seguir, desseguir (perdoem o neologismo) ou bloquear alguém. Dentre as funcionalidades importantes que ficaram de fora estão as listas, mas é bem provável que ainda sejam incluídas pois esse novo site ainda não foi lançado oficialmente.

Para acessar essa nova versão aponte o Safari para mobile.twitter.com. Entrando pelo endereço tradicional a versão que abre é a antiga o que indica que essa nova ainda não está preparada para o “grande público” mas vale muito a pena experimentar.

Vale lembrar que o novo site também funciona em outros navegadores móveis além do Safari então usuários de outros smartphones também podem utilizá-lo.

Nem só com o iPhone se comunica o Mac OS X

iSyncDevices

Já pensou em manter seu celular sincronizado com com a agenda e o calendário do Mac OS X? Pois saiba que isso é possível mesmo para quem não é proprietário de um iPhone. Para fazer a sincronização, tudo que será preciso é o iSync, um software que já vem instalado em todas as versões mais recentes do Mac OS X e dependendo do telefone, um plugin que normalmente é fornecido pela fabricante do mesmo.

A vantagem de utilizar o iSync ao invés de softwares específicos (como normalmente acontece no Windows) é que você utilizará os programas nativos do Mac, nesse caso, a Agenda e o iCal que facilitarão muito a sua vida em tarefas que seriam bem chatas se de fazer pelo próprio telefone como adicionar fotos aos contatos. Outra vantagem é que trocando de marca de celular, tudo que precisará ser feito é sincronizar novamente (desde que o novo seja compatível, é claro). Por último, mas não menos importante, tanto a Agenda quanto o iCal podem ser sincronizados com serviços online como os do Google ou o MobileMe, sendo assim, dá pra manter tudo sincronizado no telefone, no Mac e nas nuvens e o melhor, sem gastar nem um kylobyte com conexão via celular.

No seu site (em inglês), a Apple mantém uma lista dos dispositivos compatíveis com o iSync além de um rápido tutorial (em portugês) mostrando como fazer a sincronização. Para aparelhos que não constam na lista, vale a pena conferir no site da fabricante se existe plugin disponível, como no caso do Sony Ericsson K660i.

Esse post foi escrito para o Ponto Mac, um blog dedicado a assuntos relacionados ao universo Apple.

O Twitter está em toda parte – Capítulo Mac OS X

O Twitter é um fenômeno no mundo inteiro e os brasileiros que até pouco tempo atrás só tinham olhos pro orkut resolveram entrar de vez na onda do microblog. Vários fatores contribuíram pra o sucesso do site. Primeiro porque várias celebridades aderiram e se orgulham de admitir que aderiram à ferramenta. O mais legal disso é que algumas delas respondem quando a gente fala com elas, o que faz a gente, meros mortais, nos sentirmos amigos íntimos das estrelas! 🙂 Segundo que o Twitter é rápido. Todo mundo tem tempo de escrever um recadinho de até 140 caracteres e também de ler o que os outros escrevem. E finalmente, o fato de o Twitter estar disponível em qualquer plataforma conectada.

Quem ainda não usou algum app do Twitter está perdendo o melhor da festa. Não que o site seja ruim, muito pelo contrário, mas como a intenção do Twitter é estar sempre atualizado é bem mais interessante deixar o app rodando alí de bobeira pra pegar todos os tweets em primeira mão. Já testei vários apps uns muito bons e outros nem tanto então resolvi fazer um pequeno review de alguns pra facilitar a vida de quem ainda não tem o seu favorito. Vale lembrar, que essa listinha está longe de ser completa, pois vou colocar aqui só o que eu já usei mesmo e separado por plataforma.

Para o Mac OS X

Como esse é o sistema que eu uso em casa, a maior dos apps que testei estão nesse grupo. Vamos aos que valem a pena serem mencionados.

Twidget


Imagem1

No começo, achei o Twitter uma coisa meio besta e resolvi deixar ele lá confinado no Dashboard. Durante esse tempo o Twidget funcionaou muito bem.

Pontos Fortes:

  • É um widget do Dashboard então não vai consumir muita memória nem ocupar espaço na tela enquanto você faz outras coisas.
  • Você pode optar por ver sua timeline ou apenas usar para postar seus updates.
  • É gratuito e não tem publicidade.
  • Mostra opções de favoritar, dar reply ou enviar direct message perto de cada tweet.
  • Mostra o que a pessoa utilizou pra postar o tweet. Parece bobagem, mas eu acho legal saber o que o pessoal está usando e quem sabe descobrir coisas novas.
  • Pontos Fracos:

  • Por ficar confinado no Dashboard, não mostra notificações de atualizações na sua timeline.
  • Só compacta a URLs após o envio, o que na minha opnião é completamente inútil pois a gente precisa dos preciosos caracteres restantes é antes de postar. Se a URL grande coube nos 140 pra que compactar depois?
  • Também não gosto da compactação automática, algumas URLs eu quero que apareçam completas.
  • Não é redimensionável, só dá pra ver no máximo uns dois tweets por vez da timeline.
  • Conclusão:

    Bom para twitteiros eventuais e iniciantes por ser super simples e fácil de usar. Mas a falta de alguns recursos e a falta de notificação (parece que estão planejando notificações via Grow para versões
    futuras) vai acabar fazendo os veteranos mudarem para algo mais completo.

    Pwitter


    3_screen-capture-2.jpg

    Houve um tempo que o que eu queria era um aplicativo que fosse pequeno para eu poder deixar o tempo todo visível no canto da tela. Foi nessa época que descobri o Pwitter.

    Pontos Fortes:

  • É pequeno e semi transparente, ideal para deixar aberto no cantinho da tela o tempo todo que não desvia muito a atenção
  • É gratuito e livre de publicidade.
  • É super completo em recursos tanto em relação às funcionalidades do Twitter (favoritar, RT, deletar, etc) quanto do Mac OS X.
  • É bonito. Acho a janelinha transparente bem charmosa. Só a timeline e os botões poderiam ser melhor trabalhados.
  • Mostra notificações discretas apenas colorindo o ícone na barra de menus ou pode utilizar o Grow e sons, tudo configurável.
  • Pontos Fracos:

  • Não reconhece hashtags. Elas aparecem lá, mas não são clicáveis.
  • Não tem busca.
  • Não compacta URLs durante a edição.
  • Conclusão:

    É um excelente cliente. Seu tamanho e jeitinho simples enganam em relação à quantidade de funcionalidades que possui. A única coisa que realmente me aborrecia era não poder compactar URSs durante a edição.

    Tweetie


    Estava em busca de um cliente de Twitter ainda mais poderoso que Pwitter, mas aí não tinha mais como ficar na categoria dos gratuitos (pelo menos não sendo Adobe Air). Não costumo gostar de software com publicidade, mas o Tweetie me surpreendeu de várias formas.

    Pontos Fortes:

  • Além de ser completo em funcionalidades do Twitter e do OS X, o Tweetie vai além, incorporando vários extras legais.
  • Permite ver fotos sem abrir o navegador, apenas clicando em links de serviços associados ao Twitter ele abre em uma janelinha semi transparente.
  • Possui uma navegação incrível pela timeline, permitindo até mesmo visualizar o contexto de uma conversa. Não funciona muito bem, mas essa é uma funcionalidade que o Twitter não tem.
  • Permite o cadastro de várias contas.
  • Permite compactar os links durante a edição (até que enfim alguém pensou nisso!) e ainda vai além, exibindo o link descompactado quando você clica e antes de abrir no navegador.
  • Possui notificações discretas, mudado a cor do ícone na barra de menus
  • Mesmo não sendo gratuito, a versão com publicidade mostra propagandas super bonitas que não enfeiam sua timeline.
  • É um dos programas mas bonitos para Mac. Percebe-se que sua interface foi projetada com carinho, e a atenção com os detalhes foi levada ao extremo.
  • Possui atalhos de teclado bem úteis.
  • Permite postar fotos apenas arrastando a imagem para a janela de novo tweet.
  • Pontos Fracos:

  • Não permite deletar seus tweets, com tantas funcionalidades achei que essa tão simples foi esquecida.
  • Não é totalmente gratuito e a versão com publicidade fica pedindo pra ser registrada de vez em quando.
  • É um pouco grande, então não é o ideal para deixar sempre visível no canto da tela.
  • O atalho de teclado padrão para postar um novo tweet é o mesmo que lança o Quicksilver que é um software bem popular entre os usuários de Mac.
  • Quando você lê um tweet pela timeline ele continua como não lido nos replies.
  • Conclusão:

    Como sou amante de interfaces bem feitas, fiquei fã do Tweetie. No começo fui resistente por causa da publicidade, mas nesse caso ela não incomodou. Acredito que esse é o melhor, mais completo e mais bonito cliente de Twitter para OS X dentre os que testei. E é o que eu uso ultimamente na maioria das vezes.

    Pra ninguém ficar com preguiça de ler, vou falar dos apps multiplataforma e pra celular nas semanas seguintes, então aguardem!

    Saraiva lança serviço de aluguel e venda de filmes no Brasil

    Saraiva Digital

    Enquanto a Apple não lança direito a iTunes store no Brasil (o que temos hoje é apenas uma versão reduzida da App Store) a Saraiva, com a ajuda da Microsoft saiu na frente e disponibilizou a venda e aluguel de filmes online pelo site da livraria.

    Os filmes estão disponíveis em resolução de DVD e não existe conteúdo em HD como na loja da Apple. O preço do aluguel está interessante. Custa R$ 4,90, que é mais ou menos o que se paga em uma locadora convencional.

    Achei muito legal a iniciativa, principalmente porque quase todas as grandes empresas de tecnologia internacionais não trazem serviços bacanas para o Brasil por causa da pirataria e dos altíssimos impostos. Resta torcer para para que esses dois fatores não impeçam a loja de prosperar, pois caso isso aconteça, pode ser uma boa porta de entrada para as irmãs mais velhas que ainda torcem o nariz pra nós.

    Por enquanto o catálogo de filmes é bem limitado e não tem lançamentos, mas a Saraiva promete ampliar bastante o acervo até o final do ano disponibilizando inclusive seriados, programas de tv e musicais.

    Infelizmente não pude testar o serviço porque só está disponível para computadores com Windows (argh!). Assistir os filmes no iPod ou no iPhone também não dá. Uma pena, porque isso deixou de fora uma boa turma entusiasta em tecnologia que costuma investir bem mais em seus hobbies tecnológicos do que a galera do pc.

    Aproveite a internet do celular sem falir seus créditos!

    Opera Mini

    Que brasileiro é viciado em celular todo mundo já sabe, mas uma coisa que tenho observado é que tem muita gente comprando celulares super tecnológicos sem nunca trafegar um kilobyte sequer pelo aparelho.
    O fato é que a popularidade dos planos pré-pagos por aqui acabaram criando os famoso celulares pai de santo, aqueles que só recebem e no máximo fazem chamadas de 3 segundos pra não gastar do crédito.
    Mas o que muita gente não sabe, é que dá pra aproveitar a internet do celular (moderadamente) mesmo em planos pré pagos.

    Vamos às dicas para realizar tal façanha:

    Como meu celular é da TIM, as dicas serão baseadas nessa operadora, mas a maioria (senão todas) delas valem para todas as outras.

    Antes de mais nada, o aparelho precisa estar configurado para acessar a internet. Se você comprou o seu na mesma operadora que usa, as chances dele já ter vindo configurado são grandes, mas se comprou desbloqueado ou trocou de operadora vai ser necessário configurar. A boa notícia é que a configuração pode ser feita automaticamente pelo site da operadora ou do fabricante. Na TIM, acesse a Área Exclusiva e selecione a opção Serviços TIM > Auto Configuração.

    Com a configuração devidamente feita, a primeira grande sacada é não usar o navegador do celular ao invés disso, use o Opera Mini, que é grátis e excelente. Dá pra fazer download pelo computador e depois enviar pro telefone via cabo ou bluetooth. Vou explicar o porquê de usá-lo.

    Primeiro, o Opera Mini comprime os dados que serão baixados em até 90% antes da página ser carregada na telinha. Isso significa que baixando menos dados você vê a mesma página só que gastando menos.
    Além disso, as operadoras possuem tarifas diferenciadas para a navegação wap (pelo navegador do celular) e web (usando o celular como modem ou aplicativos java que conectam à internet). Na TIM, pelo navegador do celular, você usará a conexão TIM WAP FAST que custa aproximadamente 5 centavos por KB trafegado. Enquanto isso, no TIM CONNECT FAST, que é usado pelos aplicativos java instalados no telefone (o que inclui o Opera Mini) o preço é de menos de 2 centavos por KB.

    A outra sacada é que muitos sites que nós adoramos (Gmail, Orkut, Yahoo Mail, Facebook, Twitter etc) possuem versões adaptadas para celular. O Orkut (que aposto ser o favorito da turma brasileira) pode ser acessado pelo m.orkut.com que é uma versão super compcta mas que dá pra ler e enviar recado, ver fotos, atualizar status, entre outras. Só não dá mesmo pra acessar comunidades e o Buddy Poke mas isso pode esperar pelo computador de casa! 😛

    Utilizando o Opera Mini, o TIM CONNECT FAST e o m.orkut.com, li meus recados e respondi um gastando 41 centavos o que é praticamente o preço de um SMS.
    Agora se você empolgar e quiser mergulhar de vez na internet pelo celular, acessar youtube e sites de verdade, o melhor mesmo é contratar um pacote de dados, que hoje em dia nem está tão caro mais.

    Dica de última hora: Se você tem um pacote de dados da TIM e quiser acessar o m.youtube.com. Troque a configuração de streamming do seu celular (o Google sabe como fazer!) de TIM MULTIMIDIA (ou TIM TV) para TIM CONNECT FAST assim, o tráfego do vídeo será descontado do pacote, enquanto que pelo TIM MULTIMIDIA é cobrado separadamente.

    Aproveite!

    Empresa Brasileira lança agregador de Redes Sociais

    Acredito que bastante gente que usa Orkut já deve ter ouvido falar ou usado o PowerScrap, um site que permitia acessar o Orkut mesmo em lugares onde era bloqueado. Apesar deles alegarem que o site ampliava as funcionalidades da rede, todo mundo usava mesmo era pra burlar o bloqueio em universidades e empresas, por exemplo.

    O que eu não sabia era que a empresa por trás do PowerScrap (que é brasileira) agora lançou um serviço chamado Power.com que agrega em um único site contas de diferentes sites sociais, como Orkut e MySpace. O serviço funciona de maneira semelhante ao conhecido (e excelente) meebo que permite acessar pelo navegador a conta de diversos serviços de mensagem instantânea.

    A empresa foi até notícia de sites internacionais como New York Times, BusinessWeek, Cnet e até o TechCrunch.

    mais

    Ajuda para os novatos no Mac OS X

    Quando comecei a usar o Mac OS X me encantei pelo apelo visual e eficiência do sistema da Apple. Nenhuma novidade até então. O que me surpreendeu foi o fato de que diferente do Linux que é cópia do Windows (falando em paradigma de interface), o OS X é um sistema completamente diferente com paradigmas únicos. Só para citar um exemplo conhecido até por quem nunca pôs a mão num Mac, no OS X a barra de menus fica no topo da tela ao invés de ficar na janela do aplicativo.

    Para ajudar as pessoas que estão começando a usar o Mac, listarei algumas diferenças e dúvidas comuns que eu mesmo já tive um dia. Depois de pouco tempo você acaba descobrindo que na maioria das vezes, a maneira do OS X de fazer as coisas é mais intuitiva e consistente do que a de qualquer Windows ou Linux.

    Bom, eu não trabalho na Apple e também não participei do desenvolvimento de nenhum de seus produtos então tudo que eu disser aqui é baseado no meu próprio conhecimento de design de interfaces e em alguns capítulos das Apple Human Interface Guidelines que já li.

    1 Por que o raio do menu tem que ficar no topo?

    No começo achei que isso fosse só um detalhe esquisito. Não é muito mais lógico o menu ficar colado no aplicativo ao qual pertence? No caso do OS X, a resposta é não. A diferença, é que o sistema da Apple é centrado na aplicação (repare que Cmd-Tab Circula pelos aplicativos, ao invés de janelas), enquanto o Windows é centrado na janela. Sendo assim, o menu é global da aplicação o que evita redundância e o desperdício do espaço útil, principalmente quando estamos trabalhando com janelas lado a lado.

    2 Control não funciona!

    Funciona sim, mas talvez não do modo que você espera que funcione. A tecla modificadora principal do Mac é o Command, que fica ao lado da barra de espaços. Comandos como por exemplo Ctrl-C, no Mac vira Cmd-C.

    3 O botão verde não maximiza!

    Normalmente as pessoas usuárias de pc estão tão acostumadas a trabalhar com as janelas maximizadas que quando usam um Mac vão logo clicando no botão verde achando que a janela vai maximizar (parte da culpa também é dos skins que fazem Windows e Linux ficarem parecidos com o OS X e transformam o botão de maximizar no verde). No OS X, o botão verde serve para colocar a janela em um tamanho que todo o seu conteúdo fica visível. O OS X leva o conceito de multitarefas ao extremo, e maximizar a janela não faz muito sentido quando se está trabalhando com diversas tarefas em paralelo. Além do mais, diferente do Windows, você pode abrir diversas janelas ao mesmo tempo e deixar todas a vista que o sistema não vai começar a pendengar. Por último, tirando o MacBook, os computadores dá Apple têm monitores bem grandes que podem ser melhor aproveitados se uma única janela não ocupar todo o espaço. Mas se nada disso te convenceu, relaxe. É só redimensionar a janela para ocupar a tela toda que o sistema lembrará o tamanho e posição da proxima vez que você abrir o aplicativo. [Atualização: Segurando o Option enquanto clica no botão verde provavelmente é o mais próximo de maximizar que dá pra fazer no Mac.]

    4 Os acentos não saem em cima das letras nem com reza brava!

    O Mac tem uma forma bem peculiar de se acentuar as palavras, pois pressionando as teclas de acento eles são colocados na frente do texto, como um caractere normal. No Mac, a acentuação é feita com as seguintes combinações: Option-E = acento agudo, Option-I = acento circunflexo, Option-N = til, Option-C = C cedilha, Option-` = crase. Não sei por que a Apple escolheu esse padrão de acentuação. Não me parece intuitivo. Já ouvi gente argumentando que é pra ficar consistente com diferentes layouts de teclados, mas ainda não me convenceu, já que a Apple comercializa seus próprios teclados. O falto é que se você realmente odiar essa forma de acentuação parece que é possível usar algum programa ou modificar algum arquivo (ver Google) para funcionar igual ao Windows mas acredite, não é difícil de se acostumar!

    5 Qunado aperto Enter (Return) em um arquivo ele edita o nome, ao invés de abrir!

    É isso mesmo! Com um arquivo selecionado, o enter ou return funciona como o F2 no Windows. Para abrir o arquivo sem dar dois cliques aperte Cmd-O, como o Abrir em qualquer aplicativo. Agora até parece mais lógico, certo!? Aliás navegar pelo Finder sem usar o mouse é bem fácil. Cmd-Seta Esquerda = voltar, Cmd-Seta Direita = Avançar, Cmd-Seta Cima = um nível acima, Cmd-I = informações sobre o arquivo, Cmd-O = Abrir  e Esc sempre cancela uma ação.

    6 Ok, mas mesmo assim não consigo acessar os menus nem os botões dos diálogos sem usar o mouse.

    Com os diálogos, o OS X tem um sistema bem simples de acesso aos botões: Enter (Return) aciona o botão de confirmar, enquanto Esc aciona o botão de cancelar. Além, disso, é possível circular o foco entre os botões com Tab. Mas lembre-se, para acionar o botão com o foco (aura azul), use a barra de espaços pois Enter (Return) acionará o botão de confirmar (o azul).  Os menus não possuem mnemônicos, como no Windows, então para chegar neles sem usar o mouse é só pressionar Ctrl-F2, lembrando que em alguns teclados para usar os Fs é necessário precionar Fn, então fica Ctrl-Fn-F2. O Dock também pode ser acessado pelo teclado, é só usar F3 ao invés de F2. Após colocar o foco no menu ou no Dock você pode navegar por eles usando as setas.

    7 E o Control Alt Del?

    Também diferente do Windows, o OS X é um sistema estável e raramente vai dar pau. Quando algum aplicativo parar de responder, é só clicar com o botão direito (ou Ctrl-clique) no seu ícone do Dock e selecionar a opção forçar encerrar. O aplicativo fechara e o sitema continuará rodando perfeitamente, como se nada tivesse acontecido. Também pode  pressionar Cmd-Option-Esc para exibir uma janela contendo os programas que estão executando, os que não estão respondendo e uma opção para forçar encerrar. É parecido com o gerenciador de tarefas do Windows, só que funciona!

    8 Já sou quase um expert, mas redimensionar as janelas é um saco!

    No OS X todas as janelas tem uns risquinhos na parte inferior direita que o usuário pode puxar para redimensioná-la. Não dá pra redimensionar pelas bordas (mesmo porque no Leopard os programas não têm bordas) o que pode ser um pouco chato quando quiser redimensionar uma janela que está no quarto quadrante da tela.

    9 Deletei uns arquivos do pen drive mas o espaço não foi liberado!

    Outra coisa que eu acho chata (porque é confusa) é isso. O OS X não deleta permanentemente arquivos de unidadades removíveis como o Windows faz. Ao invés disso, ele cria uma pasta oculta na própria unidade, onde os arquivos enviados para o lixo ficam. Isso quer dizer que os arquivos deletados do pen drive também vão para a lixeira. O chato é que a lixeira do pen drive (quando este está conectado) se mistura com a lixeira do sistema. Então um arquivo só é deletado de verdade do pen drive quando você esvaziar a lixeira, o que vai mandar todos os arquivos deletados do hd para o limbo junto! Uma opção para usuários mais experientes é quando for deletar arquivos do pen drive, usar o terminal e o comando rm, que exclui sem mandar para o lixo (Shift-Del não funciona).

    10 E não precisa de Anti Vírus?

    Não. Vírus pra Mac é uma coisa raríssima (assim como para Linux) e a maioria dos anti vírus pra Mac só vai escanear por vírus de Windows para evitar que você envie um arquivo contaminado para um usuário de Windows que você recebeu provavelmente de outro usuário de Windows! Sinceramente, cada um chupa a manga que merece! Quem usa Windows que tenha um anti vírus instalado no pc!

    Espero que essas dicas tenham ajudado na adaptação dos novatos. Tenho certeza que depois de alguns dias de uso você já vai estar se sentindo em casa e vai começar a perceber como no OS X as coisas fazem sentido! Rapidinho também não vai nem sentir mais falta do seu sistema antigo, e se sentir, o BootCamp ou os softwares de virtualização estão aí para isso.

    Bem vindos ao melhor (mas não perfeito) Sistema Operacional para seres humanos!

    Ps.: Quem tiver mais dicas ou alguma dúvida pode postar nos comentários.
    Caso eu me lembre de mais dicas vou atualizando o post também.